Ordo Salutis

Venceu Nosso Cordeiro Vamos Segui-LO

21:40

John Nelson Darby (1800 - 1882)

Postado por Harone Maestri Mattos


É difícil escrever uma biografia curta a respeito de J.N. Darby! Existem muitas pessoas que o admiram (até demasiadamente), outras nem aguentam ouvir o nome dele. Uma biografia favorável a Darby apelida-o de "O Tertuliano destes últimos dias". Mesmo alguém que não concordava em muitos assuntos com ele como o Dr. Martyn Lloyd Jones, ao fazer menção dele, chama-o de "o grande J.N. Darby".
Dois irmãos notáveis no início dos trabalhos entre os "Irmãos", em Portugal e no Brasil, sentiram muito respeito e amor para com ele. Richard Holden, como resultado do ensino de Darby, deixou de ser pastor da Igreja Congregacional no Rio de Janeiro. Este acto, por sua vez teve como resultado a formação da igreja que se reúne até hoje à Rua São Carlos, daquela cidade. S.E. McNair sempre foi um defensor ferrenho de Darby, que o encontrou uma vez numa reunião quando este já era velho, e Stuart McNair bem novo. Foi em defesa de Darby que escreveu uma carta (mais tarde publicada) com o titulo "Um Tal Darby".

É um homem bem proeminente que merece espaço na revista Time, cento e vinte e anos depois da sua morte. Todavia, esta revista célebre, num artigo de 01 de Julho de 2002, menciona Darby e a grande influência que teve no desenvolvimento da doutrina que muitos hoje abraçam, ou seja, a vinda a qualquer momento, do Senhor Jesus aos ares para buscar a Igreja (o arrebatamento).

John Nelson Darby nasceu em Westminster, Londres no dia 18 de Novembro de 1800, de uma bem conhecida família irlandesa, os Darbys de Leap Castle no Condado do Rei (hoje Offaly). O facto do célebre Almirante da Marinha Real Inglesa, Lord Nelson, ter sido padrinho do pequeno John a pedido dos pais, mostra como esta família era de renome. Como honra recebeu como segundo nome o do Almirante Nelson.

Entrou na faculdade de Trinity College, Dublin com apenas 15 anos de idade e graduou-se com distinção aos 18 anos de idade.

Seu pai desejou que fosse advogado, exercendo esta profissão por um período bem curto. O que realmente desejava era ser pastor da Igreja Anglicana (Episcopaliana). Tinha uma natureza profundamente religiosa, e entre 1820 e 1825 tentou viver de acordo com todos os regulamentos da Igreja. Não sabemos nada certo referente aos seus estudos entre os anos 1822 e 1825, senão que se ocupava com o pensamento de optar por uma carreira eclesiástica. O seu pai ficou tão indignado com isso ao ponto de o deserdar. Um tio, porém, deixou-lhe de herança uma considerável fortuna que o tornou independente durante toda a sua vida.

Aos 21 anos de idade John Darby converteu-se ao Senhor. Em Agosto de 1825 recebeu ordenação como diácono e em Fevereiro de 1826 foi ordenado "sacerdote" pelo Arcebispo William Magee de Dublin. Darby tornou-se pastor da igreja em Calary, no lado oeste da Irlanda, onde se esforçou muito na visitação especialmente entre os pobres. Muitos converteram-se ao Senhor.

O jovem pastor anglicano entrou logo em rota de colisão com as autoridades eclesiásticas de Dublin. A Igreja Anglicana irlandesa, naquela época, estava a lutar contra a possibilidade de perder a sua posição privilegiada como a Igreja oficial do país. O clero da Igreja Anglicana, junto com o Arcebispo, publicou uma declaração oficial que denunciava a Igreja Católica Romana, mas, não tomando por base a doutrina bíblica. Era porque a Igreja Anglicana estava ligada ao Estado, enquanto a Igreja Católica estava contra ele. Por isso, a Igreja Anglicana pensava que merecia privilégios especiais.

Darby ficou (com toda razão) entristecido por uma compreensão tão mundana da Igreja de Deus. Escreveu e circulou em particular um protesto vigoroso contra a acção do clero. Sem duvida, uma acção corajosa de um pastor de apenas dois anos ao serviço.

O protesto de Darby de nada adiantou. A ligação entre a Igreja e o Estado era tudo para o clero daquela época, a Igreja de Cristo para eles nada importava. Darby ficou mais triste ainda.

Ele começou a procurar, portanto, algum grupo de cristãos que poderia satisfazê-lo quanto ao seu desejo de uma igreja baseada nos princípios do Novo Testamento e não nos princípios da política mundana. Foi justamente neste período que entrou em contacto com os chamados "Irmãos".

Na cidade de Dublin entre os anos 1825 e 1827, dois grupos de irmãos reuniam-se a fim de estudar a Palavra de Deus e partir o pão na simplicidade das Escrituras. A maioria deles era relativamente jovem e ficaram logo unidos pelos seus ideais bíblicos. Entre estes se encontravam Anthony Norris Groves, que era dentista na cidade de Exeter, John Gifford Bellet, advogado do Tribunal, Edward Cronin, ex-católico, John Versey Parnell, que posteriormente veio a ser o Lorde Congleton, e outros.

Norris Groves voltou logo para a Inglaterra, mas pouco depois um novo companheiro foi adicionado ao grupo, provavelmente através de John Bellett. J. N. Darby veio a ser um dos homens mais influentes neste movimento (para o bem e para o mal). Devemos notar, porém, que, mesmo na Irlanda, não foi ele o responsável pelo regresso às Escrituras, que era o alvo do movimento. Ele uniu-se aos irmãos que já estavam se reunindo com este propósito.

Deve-se notar que naquela mesma época e por muitos anos depois, outras igrejas foram formadas na Inglaterra, Irlanda, Escócia, País de Gales, Alemanha, Suíça e na Guiana Inglesa. Muitas destas igrejas foram formadas até sem terem o conhecimento de que existiam outros que se reuniam da mesma forma, coisa que só mais tarde vieram a saber. Não temos nenhuma dúvida que era um movimento de genuíno avivamento entre o povo de Deus. Muitos irmãos e irmãs estavam cansados da formalidade e falta de poder espiritual nas igrejas às quais pertenciam. Queriam um retorno à simplicidade e poder das igrejas do Novo Testamento.

Alguns aspectos do seu ministério deixam muito a desejar, sem uma luz positiva. Entretanto, há um ponto forte no seu ministério pelo qual devemos sem reservas dar graças a Deus: é a recuperação de certas verdades das Escrituras que estavam esquecidas, tais como as várias dispensações divinas no governo do mundo, bem como a vinda do Senhor antes do Milénio para buscar a Sua igreja.

Durante alguns anos, na primeira metade do século 19, foram realizadas conferências sobre profecia. A partir de 1831, uma jovem viúva da classe nobre, de nome Teodosia Howard, posteriormente conhecida como Lady Powerscourt, grandemente impressionada pelos estudos proféticos, ofereceu o seu castelo, o Palácio Powerscourt, onde periodicamente realizavam conferências para estudar aquele assunto, sendo Darby um dos participantes de grande destaque. Estas conferências eram franqueadas a todo o povo de Deus e eram assistidas por muitos dos "Irmãos".

Lady Powerscourt, que reunia-se com a igreja em Dublin, foi, por algum tempo noiva de J. N. Darby, mas o noivado foi desfeito. Não sabemos de qual dos dois partiu o rompimento. Dizem uns que foi ela quem rompeu por achar que o casamento iria perturbar o ministério de J. N. Darby, outros afirmam que o rompimento foi por iniciativa de Darby, enquanto outros, ainda, dizem que houve uma decisão mútua e até afirmam que as cartas de rompimento que ambos escreveram cruzaram-se no caminho. Nada, porém, pode ser afirmado por certo, mas a verdade é que ambos sentiram muito a separação. Darby escreveu mais tarde: "Recusei um casamento e parti um coração ao fazê-lo".

Voltando ao assunto das igrejas, devem ser salientados o amor e a simplicidade daqueles primeiros anos em Dublin. Já em 1830 existiam na Irlanda cinco ou seis igrejas semelhantes, como resultado daquele impulso, mas, como já mencionámos, também em outros lugares o Espírito estava a manifestar-se espontaneamente.

Em Bristol e Barnstable, na Inglaterra, existiam igrejas notáveis. Entre os lideres destas igrejas encontravam-se George Muller e Henry Craik (Bristol) e Robert Chapman (Barnstable).

Em Plymouth, porto importante no sudeste da Inglaterra, havia uma igreja grande e próspera (com mais de 700 membros em comunhão) que tinha ensinadores capacitados, tais como Benjamim Wills Newton, Samuel Prideaux Tregelles, este um erudito nas línguas originais da Bíblia, Henry W. Soltau, que foi autor de dois livros úteis a respeito do tabernáculo no deserto, William Dyer e James L. Harris. Por ser tão grande esta igreja ganhou do mundo mais um apelido: "Irmãos de Plymouth", um título absurdo que alguns ainda insistem em usar. Naquelas igrejas encontravam-se muitos dos melhores ensinadores bíblicos, tais como J. G. Bellet, já mencionado, Charles Henry Mackintosh e William Kelly.

No ano 1837, John Nelson Darby iniciou as suas actividades na Suíça, onde trabalhou abençoadamente em Genebra e Lausanne. Entre 1840 e 1845 viajou outra vez pela Suíça e França. Ali a obra espalhou-se de uma maneira semelhante,. Nos anos de 1847 a 1853 diversas viagens levaram-no a esses países, onde serviu às congregações ali e reuniu os irmãos em conferências para o estudo da Palavra de Deus. No início do ano de 1853 ouviu falar de um grupo de crentes da região Renânia na Alemanha. Em seguida houve uma troca de cartas com Carl Brockhaus que resultou numa visita a Elberfeld em 1854.

Durante a viagem, John Nelson Darby ficou por alguns dias nos Países Baixos, fazendo a primeira visita aos irmãos em Haarlem, Amsterdam e Winterswijk. Esses irmãos também estavam a reunir-se separados das denominações eclesiásticas existentes. Na primavera de 1855, novamente foi a Elberfeld, para iniciar a tradução do Novo Testamento para o alemão.
Em conjunto com Carl Brockhaus e Julius Anton von Poseck traduziu inicialmente o Novo Testamento. Nos anos de 1869 a 1870 também traduziram o Velho Testamento para o alemão.

Nessa ocasião, Hermanus Cornelius Voorhoeve (da Holanda) ocupou o lugar de Julius Anton von Poseck. Os anos de 1855 a 1857, John Nelson Darby passou primordialmente no continente europeu, tendo estado principalmente na França, na Alemanha (nos anos 1855 e 1857), nos Países Baixos e na Suíça. Nos anos seguintes, de 1858 a 1859, permaneceu em Londres, onde trabalhou na tradução do Novo Testamento para o francês impresso finalmente em 1859 em Vevey. A Bíblia completa em francês foi completada em 1881 com a colaboração de alguns irmãos. Enquanto isso, traduziu e publicou, em 1870, uma traduçãopara o inglês do Novo Testamento (o Velho Testamento, mais tarde, foi completado seguindo as suas instruções deixadas para trás).

No ano de 1861 escreveu a um amigo: “Sabe que sonhei de um novo campo de trabalho — algo onde ainda não estive e onde o Evangelho, tal como eu o entendo, ainda não tem sido levado. Não me alegro em ir a um campo onde já trabalhei. Tornou-se para mim algo velho. Gosto muito de anunciar o Nome do Senhor a pessoas que ainda não O conhecem.” Esse desejo cumpriu-se no final do ano de 1862. Nos anos de 1862-63, 1866 a 1868, 1870, 1872-73 e finalmente de 1874 a 1877 visitou os Estados Unidos e o Canadá. Durante a última viagem também chegou a visitar a Nova Zelândia.

Depois da sua última viagem para além-mar, John Nelson Darby visitou mais uma vez a Alemanha (1878), a Suíça, a Itália e a França. Na avançada idade de 79 anos voltou à Inglaterra, onde ainda trabalhou como escritor até ao seu falecimento em 1882. As suas obras completas (editados pelo seu amigo William Kelly) englobam 34 volumes de escritos coligidos (“Collected Writings of J. N. Darby”). Acrescentam-se ainda 7 volumes de notas e comentários (“Notes and Comments”), 3 volumes de miscelânias (“Miscellaneous Writings”) e 3 volumes de cartas (“Letters”). A sua obra mais conhecida e talvez a mais preciosa é a “Sinopsis dos livros da Bíblia” (“Sinopsis of the Books of the Bible”), na qual John Nelson Darby dá uma panorâmica de toda a Bíblia. Ele é igualmente conhecido como poeta. Conhecido são os seus “Spiritual Songs” (“Hinos Espirituais”) e os muitos hinos no hinário inglês dos irmãos.

J. N. Darby fez viagens para a Suíça e para outros lugares, onde viu muita bênção na pregação da Palavra e a formação de igrejas. Foi de muita ajuda, especialmente a irmãos na Suíça, onde Igreja e Estado se separaram, e que não tinham ficado satisfeitos com o ensino do metodismo.

Depois de trabalhar por um período de tempo na França, de 1853 em diante, Darby trabalhou muito na Alemanha entre irmãos baptistas. Igrejas dos "Irmãos" foram formadas em Dusseldorf e Elberfeld. Foi a fim de ajudar estes irmãos que Darby fez a sua tradução da Bíblia para o alemão conhecida como a "Bíblia Elberfeld".

Também nesta época Darby encontrou-se com o afamado teólogo Dr. Friedrich Tholuck. Ele explicou o seu ponto de vista a respeito dos dons espirituais na igreja e como estes dons não são limitados ao clero. Dr. Tholuck concordou que assim era na igreja original, mas perguntou se funcionaria no mundo moderno. "O senhor já o experimentou?" foi a resposta de Darby!

Além de traduzir a Bíblia para o alemão, Darby também a traduziu para o francês ("Bíblia Pau") e para o inglês. O Novo Testamento no inglês foi completado por outros irmãos usando as anotações de J.N.Darby. Devem ser mencionados aqui também os trabalhos prodigiosos dele por escrito a respeito de muitos assuntos bíblicos e polémicos do dia. Embora que alguns dos mais de 40 volumes não tenham mais relevância, outras tratam de assuntos polémicos ainda actuais, enquanto outros por serem acerca da Bíblia continuam sempre válidos. Foi por causa do facto dele só escrever livros de estudo bíblico e livros contra a falsa doutrina, que J.N. Darby falou certa vez: "Só me interesso pela Bíblia e por livros ruins!". Entre os seus trabalhos mais úteis estão os 5 volumes da Sinopse dos Livros da Bíblia que está a ser traduzido e publicado actualmente na revista "Leituras Cristãs". Deve se notar que a maneira normal de Darby ao escrever inglês é muito difícil de entender!

J.N. Darby escreveu muitos hinos e nisso o seu estilo tortuoso da língua inglesa desaparece completamente. Alguns destes hinos encontram-se traduzidos no hinário "Hinos e Cânticos".

Darby foi muito amado pelos irmãos das igrejas que visitou. Como muitas vezes acontece até hoje com certos irmãos (que infelizmente não têm os dons espirituais de um Darby!), embora intolerante para com os irmãos que o contradiziam, sempre tinha muita paciência e amor para com os mais fracos e necessitados do rebanho.

Depois de 1859, além dos países já mencionados, Darby também visitou o Canadá, os Estados Unidos, as ilhas do Caribe, Nova Zelândia, Holanda e Itália.

Este extraordinário servo de Deus incansavelmente continuou a visitar as igrejas e os irmãos em muitos países, ano após ano, vivendo uma vida notável pela sua simplicidade e frugalidade até ao fim. Ele chegou ao lar celestial em 29 de Abril de 1882.

Nos últimos meses do ano de 1880 John Nelson Darby sofreu muito. Teve problemas de respiração bem como de coração. Em Dezembro teve uma leve melhoria que lhe possibilitou escrever a um conhecido: “Pela bondade de Deus estou indo muito melhor. Na verdade nem parece que estive tão perto da morte. Embora não com muita frequência, ainda assim posso ir às reuniões. Também posso fazer o meu trabalho costumeiro. É certo que nos meses que se seguirão haverá uma mudança comigo face à minha iminente despedida deste mundo, porém não há mudança em relação à doutrina e os meus pontos de vista. Isso não mudou; tudo o que encontrei foi confirmado. É um doce e lindo pensamento, que tudo aquilo que ensinei o fiz em Deus. No meu interior tenho a certeza de que pertenço a um outro mundo… por quanto tempo ainda pertencerá a mim não sei. Para a saída, a palavra do amado Senhor é importante: “Não são do mundo, como eu do mundo não sou” (Jo 17:16). — Neste sentido a mudança é perceptível e estou a aguardar.”

No ano de 1881, John Nelson Darby ainda estava a trabalhar na edição do seu hinário inglês. No dia 15 de Dezembro de 1881, escreveu o prefácio para a Bíblia francesa que foi publicada em 1882. No final de Janeiro, a sua constituição física permitiu-lhe cumprir apenas metade das suas tarefas diárias. Nas últimas semanas foi recebido e cuidado na casa do irmão Hammond em Bournemouth. Foi ali que ele faleceu no dia 29 de Abril de 1882. Numa lápide simples e branca do cemitério de Bournemouth lêem-se as palavras:

John Nelson Darby
como um desconhecido e bem conhecido
faleceu no Senhor
em 29 de Abril de 1882
com 81 anos
2 Coríntios 5:21
Senhor, deixa-me esperar em Ti,
a minha vida seja consagrada a Ti,
desconhecido aqui na terra, servo Teu,
Vou herdar a felicidade do céu.

A sua influência continua até hoje. Embora não possamos concordar com alguns dos princípios eclesiásticos desenvolvidos por J.N.Darby agradecemos ao Senhor pelos ensinos preciosos que ele redescobriu, quanto às dispensações já passadas e quanto aos dias futuros!

0 comentários :

Postar um comentário