Ordo Salutis

Venceu Nosso Cordeiro Vamos Segui-LO

14:18

Avivamento

Postado por Harone Maestri Mattos


O que é o Avivamento?

"Vejam, eu enviarei o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim. E então, de repente, o Senhor que vocês buscam virá para o seu templo; o mensageiro da aliança, aquele que vocês desejam, virá", diz o Senhor dos Exércitos.

Mas quem suportará o dia da sua vinda? Quem ficará de pé quando ele aparecer? Porque ele será como o fogo do ourives e como o sabão do lavandeiro. - Malaquias 3:1 e 2

Avivamento é, simplesmente, aquele momento quando Deus se manifesta diretamente no meio dos homens; quando Ele 'rasga os Ceús e desce' (Isaías 64:1). Wesley Duewel, no seu livro "O Fogo de Reavivamento" descreve o avivamento assim:
A presença e o poder de Deus operam de forma tão poderosa e intensa durante o reavivamento, que Ele realiza mais em horas ou dias do que em anos de ministério fiel onde não há reavivamento... Durante o reavivamento, as pessoas se movem em direção a Cristo, pessoas que não podem ser movidas de qualquer outra forma. Muitas orações que não foram respondidas durante anos são gloriosamente respondidas. A atmosfera freqüentamente fica cheia do poder majestoso de Deus. Os cristãos reconhecem isso com a presença santa de Deus. Os pecadores têm uma percepção reverente da presença de Deus e de sua própria pecaminosidade.
Deus pode revelar a Sua presença de maneiras inesperadas. Ocorrências surpreendentes podem acompanhar Sua obra profunda na alma. Pode haver uma tal sensação da presença e do poder divino que alguns indivíduos tremem. Outros podem chorar diante de Deus; alguns caem ao chão por se sentirem fisicamente enfraquecidos. Outros podem sentir-se quase irresistivelmente atraídos a comparecer aos cultos de reavivamento ou a reunirem-se antes de algum culto ser anunciado.

O resultado do verdadeiro avivamento sempre tem um impacto na sociedade. Historiadores como William Lecky disseram que o avivamento liderado pelo John Wesley no século dezoito ajudou a Inglaterra evitar uma revolução sangrenta como aquela que assolou a França. Muitos avivamentos, como aqueles no país de Gales em 1905, Zaire em 1976 e Pensacola - Florida (EUA) em 1995, causaram uma diminuição perceptível nos índices de criminalidade nas suas comunidades. Outros avivamentos, como o Exército da Salvação liderado pelo William Booth no século 19, contribuiram com avanços sociais como a abolição do trabalho infantil e a prostituição infantil da Inglaterra, e inspiraram outros pioneiros como o Dr Thomas Barnado que trabalhou com as crianças de rua de Londres, resolvendo completamente o problema durante a sua vida.

John White, no seu livro "Quando o Espírito Vem com Poder" (ABU Editora, 1998) escreveu:
...O que temos chamado de avivamento pelos últimos trezentos anos representa um trabalho incomum do Espírito Santo, com as seguintes características:
1. Homens, mulheres e crianças, convertidos e não-convertidos, tomados por uma visão, tanto da santidade de Deus como da sua misericórdia, são despertados em grande número para o arrependimento, para a fé e para a adoração.
2. O poder de Deus é manifestado em vidas humanas de forma que as leis da psicologia e da sociologia não conseguem explicar adequadamente.
3. A comunidade como um todo torna-se consciente do que está acontecendo, muitos entendendo o movimento com uma ameaça a instituições existentes.
4. Alguns homens e mulheres exibem comportamentos físicos e emocionais fora do comum, que criam controvérsia, e que podem tornar-se ofensivos para os que se opõem ao avivamento e uma armadilha para os que o apoiam.
5. Alguns crentes avivados comportam-se de maneira impulsiva e imatura, e outros caem em pecado. Dessa forma o avivamento parece ser uma estranha mistura de influências de Deus com as que não vêm de Deus, e de exibições do poder de Deus e da fraqueza humana.
6. Onde quer que o avivamento atinja proporções suficientes para causar um impacto nacional, reformas sociopolíticas são perpetradas no século seguinte. Dessa forma o reino de Cristo começa a ser exercitado sobre males de opressão e injustiça.

O seguinte foi escrito por Frank Bartleman, no dia 16 de novembro de 1905, apenas cinco meses antes do avivamento da Rua Azusa começar em Los Angeles, Califôrnia (EUA):
A correnteza do avivamento está passando pela nossa porta. Será que nos nós jogaremos no seu seio, sendo conduzidos para gloriosa vitória? Um ano de vida neste momento, com suas maravilhosas possibilidades para Deus, vale mais que cem anos de vida normal. O Pentecoste está batendo às nossas portas. O avivamento para nosso país não é mais uma dúvida. Vagarosa, mas seguramente, a maré tem subido e, no futuro bem próximo, haverá um dilúvio de salvações que arrasará tudo antes de nós. O país de Gales não ficará sozinho neste triunfo glorioso para nosso Cristo. O espírito de avivamento está chegando, dirigido pelo sopro de Deus, o Espírito Santo. As nuvens estão se juntando rapidamente, carregadas com uma poderosa chuva, cuja precipitação demorará apenas um pouco mais.
Heróis se levantarão da poeira da obscuridade e das circunstâncias desprezadas, cujos nomes serão escritos nas páginas eternas da fama Celestial. O Espírito está pairando novamente sobre a nossa terra, como no amanhecer da criação, e o decreto de Deus está saindo: "Haja luz." Irmão, irmã, se todos nós crermos em Deus, você entende o que aconteceria? Muitos de nós já não vivemos para outro motivo. Um volume de oração de fé está subindo ao trono dia e noite. Los Angeles, o Sul do Califórnia, e o continente inteiro, certamente logo se acharão no meio de um poderoso avivamento pelo Espirito e pelo poder de Deus.
Mais uma vez o vento do avivamento está soprando ao redor do mundo. Quem está disposto a pagar o preço e responder ao chamado para que, em nosso tempo, nós possamos viver dias de visitação Divina?”

Por que precisamos de avivamento ?
"Avivamento é o Espírito Santo enchendo um corpo prestes a tornar-se um cadáver." - D M Panton

"Um avivamento espíritual sugere a idéia de que houve antes um declínio espiritual." - Charles Finney

Ouvi, SENHOR, a tua palavra, e temi; aviva, ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia. - Habacuque 3:2 JFA

A palavra 'avivamento' (ou 'reavivamento', como está traduzida no Inglês) significa a entrada de nova vida em um corpo que já está morrendo. Quando a igreja de Cristo no mundo pára de ser o verdadeiro sal e luz da sociedade, quando não vemos mais as verdadeiras obras de Jesus em nosso meio, quando a igreja parece ter muita fumaça mas pouco fogo, está na hora de pedir por um novo avivamento dos Céus.

Este hino-oração foi escrito pelo grande avivalista General William Booth, fundador do Exército da Salvação, e mostra o motivo porque nós precisamos tanto de um avivamento hoje:
Ó Cristo, chama que queima e que limpa
Envie o fogo
Seu dom comprado pelo sangue nós pedimos hoje
Envie o fogo
Olhe para baixo e veja esta multidão esperando
Dê-nos o prometido Espírito Santo
Queremos um novo Pentecostes
Envie o fogo
Deus de Elias ouça nosso clamor
Envie o fogo
Para fazer-nos aptos para viver ou morrer
Envie o fogo
Para queimar todo rastro do pecado
Para trazer a luz e a glória por dentro
A revolução começa agora
Envie o fogo
É o fogo que queremos, pelo fogo que clamamos
Envie o fogo
O fogo satisfará todas as nossas necessidades
Envie o fogo
Por forças para sempre fazer o que é certo
Por graça para conquistar na batalha
Por poder para andar no mundo vestidos de branco
Envie o fogo
Para tornar nossos fracos corações fortes e valentes
Envie o fogo
Para viver para salvar um mundo que está morrendo
Envie o fogo
Ve nos entregar no seu altar
As nossas vidas, nosso tudo, neste mesmo dia
Para coroar o sacrifício agora oramos
Envie o fogo
General William Booth - Thou Christ of Burning, Cleansing Flame

John White, no seu inspirado e inspirador livro "Quando o Espírito Vem com Poder" (ABU Editora, 1998) escreveu:
No tempo de seca espiritual, apesar de ser um tempo que nos ensina lições de grande valor, há ainda mais problemas. Pecados secretos são abundantes em tempos de seca espiritual. A frieza e a formalidade tomam o lugar de uma fé viva. O poder eclesiástico penetra no vazio deixado pela ausência do poder espiritual. A igreja cresce com frieza, com mundanismo e pecado, enquanto que no mundo a iniqüidade e a anarquia crescem cada vez mais.
Assim é o tempo em que vivemos. Avivamento? Sim, há sinais dele por todo o mundo. Mas há sinais, também, de que a "grande cólera" do diabo evidencia-se contra a humanidade como nunca antes. Chamas de fúria consomem a terra. Terrorismo e opressão, fome, guerra e morte são apenas sintomas dos propósitos sádicos do diabo contra a raça humana. A rebeldia dos homens torna as leis decentes em lixo e anula os padrões de Deus completamente. Seres humanos por todo o mundo são capturados pela armadilha do pecado. Um suga o sangue do outro, e tem prazer em fazer isso, ficando cada vez mais surdo e cego diante da angústia dos oprimidos.
Temos, então, que orar. Num tempo como este, a resposta de Deus tem sempre sido derramar o seu Espírito sobre o seu povo. Temos que nos achegar a ele. Temos que permitir que o seu próprio pesar e a sua própria ira despertem uma agonia em nossos espíritos, uma angonia que não cesse até clamarmos: "Envia o teu Espírito, Senhor! Batiza-nos de novo com o teu poder! Batiza-me pessoalmente! Capacita-me para a guerra e que o teu reino venha sobre a terra!"

Nestes dias, quando o nome de Jesus está jogado no lixo por tele-evangelistas gananciosos, políticos "evangélicos" corruptos e uma igreja enfraquecida e irrelevante, Ele precisa "limpar seu nome". Ele precisa mostrar que Ele é quem a sua palavra diz que Ele é: o único e verdadeiro Deus, soberano e bondoso, todo-poderoso e misericordioso, completamente santo e completamente apaixonado por sua criação: a raça humana. Ele vai revelar de novo a sua verdadeira natureza através do avivamento, uma invasão Divina de nossa sociedade em nossos dias. E ele tem preparado uma geração, a sua geração, para ser o instrumento deste avivamento.

Por que o Avivamento Vem ?

"Aquele que conseguisse levar os crentes a orar, seria quem, abaixo de Deus, produziria o maior avivamento que o mundo já viu." - Leonard Ravenhill - Por que tarda o pleno avivamento?

"O Espírito Santo não caiu sobre a Vineyard por que nós O merecíamos, mas sim, porque nós precisávamos dEle" - John Wimber

O avivamento parece ser, ao mesmo tempo, algo que nós buscamos através da oração, mas também algo que Deus derrama soberanamente, sem nenhum merecimento de nossa parte.

Deus age de acordo com seus propósitos, de acordo com seu relógio, mas Ele busca homens, mulheres, jovens e crianças para concordar com Ele na oração. Quando nós entendemos que Ele está querendo derramar uma grande manifestação da sua presença, do seu Espírito, nestes dias e sobre esta geração, devemos orar, como Jesus nos ensinou: "Venha o teu Reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu".

Mais uma vez, o avivamento está no ar. Agora resta a você e eu entendermos, aceitarmos e cooperarmos com aquilo que Deus quer fazer em nosso tempo, na sua geração.
Nestes dias, no fim dos tempos, tudo depende de você e dos que ainda estão vivos com você no clímax da história.
Você está em um ponto de ônibus escuro e solitário, esperando pelo ônibus que o levará ao seu destino. E um ônibus para ao seu lado. A porta abre, a luz acende, e o ônibus espera você subir a bordo.
Você olha para a frente do ônibus, para conferir se é o ônibus certo. Você lê na escuridão a placa iluminada em cima do pára-brisa, mas esta não ajuda muito. Apenas disse “FRETADO".
Você pensa em perguntar ao motorista se este é o ônibus certo. Afinal de contas, seria uma coisa vergonhosa, se não terrível, pegar o ônibus errado ou um que não está indo na direção certa.
Você não vê nenhum motorista.
A porta está aberta, o motor está ligado, mas você não vê o motorista.
Este é o meu ônibus?
Este é o que devo pegar?
Este é o ônibus certo?
Sim. Este é o ônibus certo. Este é seu ônibus, o pelo que você tem esperado. Não importa se você não sabe agora mesmo para onde vai. Somente é importante que você saiba que foi fretado para a viagem. Não é importante que você não possa ver o motorista. Acredite, o ônibus tem um Motorista, e Ele o levará para onde você deve ir.
Eu tenho medo.
E se for o ônibus errado?
E se eu o pegar e ele me levar a algum lugar aonde não quero ir?
Talvez eu deveria esperar pelo próximo ônibus.
Não há nenhum outro ônibus.
Este ônibus só passa uma vez em cada geração, e só pára uma vez, no lugar onde você está agora.
Nenhuma outra pessoa pode pegar este ônibus por você.
Pegue o ônibus.
- Winkie Pratney - Fire on the Horizon

Como Parece um Avivamento verdadeiro ?

É bem verdade que pode haver muito tumulto sem avivamento. Mas, à luz do ensino bíblico e da história da igreja, não podemos ter avivamento sem tumulto. - Leonard Ravenhill - Por que tarda o pleno avivamento?

Contudo, não os achando, arrastaram Jasom e alguns outros irmãos para diante dos oficiais da cidade, gritando: "Esses homens, que têm causado alvoroço por todo o mundo, agora chegaram aqui" - Atos 17:6

Um avivamento é, acima de tudo, uma invasão Divina nos afazeres do homem. É comum o avivamento ser acompanhado por sinais sobrenaturais na terra e nos céus. Avivalistas como Charles Finney, George Whitfield e John Wesley tiveram pessoas caindo e tremendo no poder do Espírito Santo. No avivamento da Rua Azusa era comum ouvir anjos cantando junto com o povo. No avivamento atual em Moçambique, e em outros ministéros como o David Hogan no México e o Reinhard Bonke na África, mortos têm sido ressuscitados. Às vezes até sinais maravilhosos no céu tem acompanhado verdadeiros avivamentos.

O verdadeiro avivamento sempre vem acompanhado com alguma coisa que escandaliza a natureza humana e os preconceitos do dia. Os pregadores do Wesley foram desprezados por serem 'leigos'. Os evangelistas Dwight L. Moody e Smith Wigglesworth foram atacados por terem uma formação escolar precária. O avivamento da Rua Azusa foi criticado por causa da integração racial que o acompanhava, e por suas poderosas manifestações sobrenaturais, incluindo o dom de línguas e o caír no Espírito. O mover atual de Toronto, Brownsville e além, tem sido criticado por causa de algumas manifestações, incluindo o riso no Espírito Santo.

Eu creio que, bem como naquele dia em Jerusalém quase dois mil anos atrás, o Rei, que nasceu em uma manjedoura, sempre vem montado num burrinho:
"Digam à cidade de Sião:
'Eis que o seu rei vem a você,
humilde e montado num jumento,
num jumentinho,
cria de jumenta'" - Mateus 21:5

Será que rejeitaremos o Rei, quando Ele vier, por causa do jumentinho no qual Ele está assentado?
Imaginemos a experiência do pentecostes se repetindo em uma igreja no próximo domingo. O pastor como Pedro, é revestido de poder. E, pela sua palavra, Ananias e sua esposa caem mortos no chão. Será que o crente moderno toleraria isso? E não para ali. Paulo determina que Elimas fique cego. Em nossos dias, isso implicaria na abertura de processo contra o pregador. E se alguns caissem no chão, sob o poder do Espirito Santo - o que acontece em quase todos os avivamentos - sem dúvida iriam difamar-nos. Não seria demais para a nossa sensibilidade?
- Leonard Ravenhill - Por que tarda o pleno avivamento?

Carmelo e Pentecostes: Avivamentos Bíblicos

No Antigo Testamento nós temos a história do profeta Elias enfrentando a nação de Israel, seu rei Acabe e o seu deus falso, Baal, no Monte Carmelo. Esse evento é exemplo de um forte avivamento que, num só dia, levou uma nação desviada a voltar para Deus.
Acabe convocou então todo o Israel e reuniu os profetas no monte Carmelo. Elias dirigiu-se ao povo e disse: "Até quando vocês vão oscilar para um lado e para o outro? Se o SENHOR é Deus, sigam-no; mas, se Baal é Deus, sigam-no".
O povo, porém, nada respondeu.
Disse então Elias: "Eu sou o único que restou dos profetas dos SENHOR, mas Baal tem quatrocentros e cinqüenta profetas. Tragam dois novilhos. Escolham eles um, cortem-no em pedaços e o ponham sobre a lenha, mas não acendam fogo. Eu prepararei o outro novilho e o colocarei sobre a lenha, e também não acenderei fogo nela. Então vocês invocarão o nome de seu deus, e eu invocarei o nome do SENHOR. O deus que responder por meio do fogo, esse é Deus".
Então todo o povo disse: "O que você disse é bom".
Elias disse aos profetas de Baal: "Escolham um dos novilhos e preparem-no primeiro, visto que vocês são tantos. Clamem pelo nome do seu deus, mas não acendam o fogo." Então pegaram o novilho que lhes foi dado e prepararam. E clamaram pelo nome de Baal desde a manhã até o meio-dia. "O Baal, responde-nos", gritavam. E dançavam em volta do altar que haviam feito. Mas não houve nenhuma resposta: ninguém respondeu.
Ao meio-dia Elias começou a zombar deles. "Gritem mais alto!" dizia, "já que ele é um deus. Quem sabe está meditando, ou ocupado, ou viajando. Talvez esteja dormindo e precise ser despertado".
Então passaram a gritar ainda mais alto e ferir-se com espadas e lanças, de acordo com o costume deles, até sangrarem. Passou o meio-dia, e eles continuavam profetizando e em transe até a hora do sacrifício da tarde. Mas não houve resposta alguma; ninguém respondeu, ninguém deu atenção.
Então Elias disse a todo o povo: "Aproximem-se de mim". O povo aproximou-se, e Elias preparou o altar do SENHOR que estava em ruínas. Depois apanhou doze pedras, uma para cada tribo dos descendentes de Jacó, a quem a palavra do SENHOR tinha sido dirigida, dizendo-lhe: "Seu nome será Israel". Com as pedras construiu um altar em honra ao nome do SENHOR e cavou ao redor do altar uma valeta no qual poderiam ser semeadas duas medidas de sementes. Depois arrumou a lenha, cortou o novilho em pedaços e o pôs sobre a lenha.
Então lhes disse: "Encham de água quatro jarras grandes e derramem-na sobre o holocausto e sobre a lenha".
"Façam-no novamente", disse, e eles o fizeram de novo.
"Façam-no pela terceira vez", ordenou, eles o fizeram pela terceira vez. A água escorria do altar, chegando a encher a valeta.
À hora do sacrifício, o profeta Elias colocou-se à frente do altar e orou: "Ó SENHOR, Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, que hoje fique conhecido que tu és Deus em Israel e que sou o teu servo e que fiz todas estas coisas por ordem tua. Responde-me, ó SENHOR, responde-me, para que este povo saiba que tu, ó SENHOR, és Deus, e que fazes o coração deles voltar para ti".
Então o fogo do SENHOR caiu e queimou completamente o holocausto, a lenha, as pedras e o chão, a também secou totalmente a água na valeta.
Quando o povo viu isso, todos caíram prostrados e gritaram: "O SENHOR é Deus! O SENHOR é Deus!"

- 1 Reis 18:20 – 39

O Dia de Pentecoste é um exemplo de avivamento alcançando uma cidade no Novo Testamento. Além de ser um evento escatalógico1, a primeira vez nas escrituras que a frase "os últimos dias" foi utilizada no sentido do presente, quando Pedro explicou que "isto é o que foi predito pelo profeta Joel: nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito"2, os acontecimentos deste dia também marcaram um grande avivamento que abalou a cidade de Jerusalém.
Então eles voltaram para Jerusalém, vindo do monte chamado das Oliveiras, que fica perto da cidade, cerca de um quilômetro. Quando chegaram, subiram ao aposento onde estavam hospedados. Achavam-se presentes Pedro, João, Tiago e André; Filipe, Tomé, Bartolomeu e Mateus; Tiago, filho de Alfeu, Simão, o zelote, e Judas, filho de Tiago. Todos eles se reuniam sempre em oração, com as mulheres, inclusive Maria, a mãe de Jesus, e com os irmãos dele.
Chegando o dia de Pentecoste3, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capicitava.
Havia em Jerusalém judeus, tementes a Deus, vindos de todas as nações do mundo. Ouvindo-se o som, ajuntou-se uma multidão que ficou perplexa, pois cada um os ouvia falar em sua própria língua. Atônitos e maravilhados, eles perguntavam: "Acaso não são galileus todos estes homens que estão falando? Então, como os ouvimos, cada um de nós, em nossa própria língua materna? Partos, medos e elamitas; habitantes da Mesopatâmia, Judéia e Capadôcia, do Ponto e da província de Ásia, Frígia e Panfília, Egito e das partes da Líbia próximas a Cirene; visitantes vindos de Roma, tanto judeus como convertidos ao judaísmo; cretenses e árabes. Nós os ouvimos declarar as maravilhas de Deus em nossa própria língua!" Atônitos e perplexos, todos perguntavam uns aos outros: "Que significa isto?"
Alguns, todavia, zombavam deles e diziam: "Eles beberam vinho demais".
Então Pedro levantou-se com os Onze e, em alta voz, dirigiu-se à multidão: "Homens da Judéia e todos os que vivem em Jerusalém, deixem-me explicar-lhes isto! Ouçam com atenção; estes homens não estão bêbados, como vocês supôem. Ainda são nove horas de manhã! Ao contrário, isto é o que foi predito pelo profeta Joel: “Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão..."
"Portanto, que todo o Israel fique certo disto: Este Jesus, a quem vocês crucificaram, Deus o fez Senhor e Cristo".
Quando ouviram isso, ficaram aflitos em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos outros apóstolos: "Irmãos, que faremos?"
Pedro respondeu: "Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo. Pois a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar".
Com muitas outras palavras os advertia e insistia com eles: "Salvem-se desta geração corrompida!" Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil pessoas.

- Atos 1: 12 – 14, 2:1-18, 36-41

O avivamento que começou no dia de Pentecoste continuou e teve um impacto em toda a cidade de Jerusálem4.

Vamos resumir algumas similaridades entre estes dois avivamentos:

* Elias era um homem de oração (1 Reis 18: 36, 42; Tiago 5:17); a igreja primitiva era um povo de oração (Atos 1:14).
* Elias obedeceu a palavra do SENHOR de enfrentar Acabe (1 Reis 18:1-2), a igreja primitiva obedeceu a palavra do Senhor Jesus de esperar em Jerusalém (Atos 1:4).
* Elias não teve um "plano B", para ele era "ou confiar em Deus ou morrer" (1 Reis 18:4). A igreja primitiva não tinha outra alternativa a não ser receber a "promessa do Pai" (Atos 1:13-14, 2:1).
* No Monte Carmelo, o poder de Deus manifestou-se numa forma sobre-natural que convenceu a multidão da realidade de Sua existência e poder (1 Reis 18:38-39). No dia de Pentecoste, as manifestações sobrenaturais do Espírito de Deus chamaram a atenção da multidão (Atos 2:6, 12).
* Elias pregou uma mensagem de arrependimento ao povo (1 Reis 18:21), bem como o apóstolo Pedro (Atos 2:38).
* Houve mudança imediata e radical no clima espiritual da nação de Israel (1 Reis 18:39) e da cidade de Jerusalém (Atos 2:47).
* O avivamento do Monte Carmelo acabou com a seca sobre a nação de Israel que foi um julgamento de Deus (1 Reis 17:1, 18:45). Eu acho provável que o avivamento do dia de Pentecoste adiou por quarenta anos, uma geração, a destruição da cidade de Jerusalém profetizada pelo Senhor Jesus (Mateus 23:37-38, 24:1-2, Lucas 23:28-30), que aconteceu em AD 70.

Eu creio que o verdadeiro avivamento terá todas estas características: a oração, a obediência, o compromisso, manifestações sobrenaturais, o arrependimento, uma mudança nítida no clima espiritual da área do avivamento, e, como consequência do avivamento, o adiamento ou cancelamento dos juizos de Deus sobre a nação, região ou povo.

As Fases do avivamento

"Vede, eu envio o meu mensageiro que preparará o caminho diante de mim. De repente virá ao seu templo o Senhor, a quem buscais, o mensageiro da aliança, a quem desejais; ele vem, diz o Senhor dos Exércitos. Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros. Assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como prata. Então eles trarão ao Senhor ofertas em retidão, e as ofertas de Judá e de Jerusalém serão aceitáveis ao Senhor, como nos dias antigos, e como nos primeiros anos. Chegar-me-ei a vós para juízo, e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o trabalhador, e pervertem o direito da viúva, e do órfão, e do estrangeiro, e não me temem, diz o Senhor dos Exércitos." - Malaquias 3:1 a 5

Neste trecho em Malaquias capítulo 3 nós temos uma profecia sobre a visitação divina - uma profecia que se cumpriu com a primeira vinda de Jesus, que se cumprirá na Sua segunda vinda, mas que também se cumpra nas “vindas” do Senhor através do Seu Espírito (João 14: 16 e 18).

Estas "vindas" ou derramamentos do Espírito Santo são chamados de renovação, despertamento, avivamento etc... Podemos ver neste trecho em Malaquias as fases destas visitações do Espírito Santo.

a. O Mensageiro

"Vede, eu envio o meu mensageiro que preparará o caminho diante de mim..." - versículo 1

Antes do avivamento, sempre há uma "voz", como no exemplo de João Batista antes da primeira vinda do Senhor Jesus:

"Este é aquele de quem o profeta Isaías falou, ao dizer: Voz do que clama no deserto, preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas." - Mateus 3:3

Antes de cada grande avivamento do passado, Deus enviou os seus mensageiros para preparar o povo para a Sua visitação, como, por exemplo, Evan Roberts no País de Gales, Frank Bartleman na Rua Azusa, Peggy e Christine Smith (de 84 e 82 anos de idade) nas Ilhas Hébridas, etc...

Hoje Deus está levantando muitas vozes nesta nação!

b. A Busca

"De repente virá ao seu templo o Senhor, a quem buscais..." - Versículo 1b

"O Senhor a quem bucais" não é "o Senhor que ignorais" nem "o Senhor que virá se Ele quiser!" A resposta à voz do mensageiro tem que ser que nós buscamos ao Senhor até que Ele cumprisse a Sua promessa de visitação.

"se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar e buscar a minha face, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra." - 2 Crônicas 7:14

Nós temos o exemplo de Daniel que, quando ele percebeu que o tempo tinha chegado para o cumprimento da profecia da restauração de Jerusalém, começou a buscar ao Senhor:

"no primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi pelos livros que o número de anos, de que falou o Senhor ao profeta Jeremias, que haviam de transcorrer sobre as desolações de Jerusalém, era de setenta anos. Dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e rogos, com jejum, pano de saco e cinza." - Daniel 9:2 e 3

"Estando eu ainda falando e orando, e confessando o meu pecado, e o pecado do meu povo Israel, e lançando a minha súplica perante a face do Senhor, meu Deus, pelo monte santo do meu Deus, estando eu, digo, ainda falando na oração, o homem Gabriel, que eu tinha visto na minha visão ao princípio, veio voando rapidamente, e tocou-me à hora do sacrifício da tarde." - versículos 20 – 21

Quando ouvimos a voz do mensageiro, precisamos responder "venha o Teu reino, seja feita a Tua vontade, assim na terra como no céu" (Mateus 6:10).

O avivamento do País de Gales foi liderado por Evan Roberts, que orou desde os 13 anos de idade, até os 26 anos para o avivamento individual e nacional. William Seymour, que liderou o Avivamento da Rua Azusa, estava orando cinco horas por dia quando o Senhor o falou que isso não foi o suficiente e que ele precisava orar para sete horas por dia. Quando ele obedeceu esta direção de Deus o avivamento começou.

c. A Visitação

"De repente virá ao seu templo o Senhor..." - Versículo 1b

Mesmo que o mensageiro está preparando o povo de Deus, o avivamento sempre vem "de repente."

De repente, no dia do ano novo de 1739 o Espírito caiu sobre John e Charles Wesley, George Whitefield e outros membros do "Clube Santo", começando o avivamento Wesleyano.

De repente, no dia 31 de outubro de 1904, depois de ter tido uma visão no dia anterior, Evan Roberts reuniu os jovens da sua igreja local, que oraram "Envia o Espírito Santo agora, em nome de Jesus Cristo", e o avivamento do País de Gales começou.

De repente, no dia 9 de abril de 1906, o Espírito Santo caiu numa pequena reunião de oração na Rua Bonnie Brae, número 214, em Los Angeles, EUA, e o avivamento da Rua Azusa começou.

Avivamento sempre tem um lugar e uma data de começo, de visitação. Precisamos estar prontos para reconhecer o "onde" e o "quando" do "de repente."

d. O mensageiro que desejamos

"o mensageiro da aliança, a quem desejais; ele vem, diz o Senhor dos Exércitos." - versículo 1c

Um dos propósitos do avivamento é de restaurar o nosso entendimento, nossas expectativas e experiências sobre a Nova Aliança. Na Nova Aliança há cura, salvação, batismo no Espírito Santo, a adoção como filhos e filhas de Deus, e a transformação na imagem do Filho etc... O “mensageiro da aliança” vem para restaurar nosso entendimento da aliança: vemos pessoas sendo salvas, curadas, libertas, transformadas, batizadas no Espírito Santo e lembramos que estas coisas estão na Nova Aliança.

É possível buscar o Senhor até que Ele vem, mas não desejá-lo quando Ele vier. Isso foi o problema dos Fariseus e outros líderes religiosos dos Judeus – eles querem o Messias, mas não queriam aquele Messias! O Rei sempre vem montado num jumentinho. Ele sempre vem para ofender a mente humana, nosso entendimento humano de como Ele opera. Como o Pastor John Arnott fala, “Ele ofende nossa mente para revelar nosso coração.”

"Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; para que ninguém se glorie perante ele." - 1 Coríntios 1:28-29

e. A purificação do povo de Deus

"Mas quem suportará o dia da sua vinda? E quem subsistirá, quando ele aparecer? Porque ele é como o fogo do ourives e como o sabão dos lavandeiros. Assentar-se-á como fundidor e purificador de prata; purificará os filhos de Levi, e os refinará como ouro e como prata. Então eles trarão ao Senhor ofertas em retidão, e as ofertas de Judá e de Jerusalém serão aceitáveis ao Senhor, como nos dias antigos, e como nos primeiros anos." - versículos 2 a 4

O primeiro propósito de avivamento é de restaurar a Igreja, o povo de Deus, os "filhos de Levi."

"Pois já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?" - 1 Pedro 4:17

O avivamento vem não porque nós o merecemos mas, sim, porque precisamos dele; não porque nós somos santos, mas, sim, para nos santificar. Ele vem para refinar e preparar a Sua noiva, a Sua Igreja.

"Vós, maridos, amai a vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, a fim de apresentá-la a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível." - Efésios 5:25-27

f. A transformação da sociedade

"Chegar-me-ei a vós para juízo, e serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o trabalhador, e pervertem o direito da viúva, e do órfão, e do estrangeiro, e não me temem, diz o Senhor dos Exércitos" - versículo 5

A fase final do avivamento é a restauração da sociedade ao padrão da Palavra de Deus, com justiça, retidão e compaixão, gerando uma benção que pode continuar através de gerações.

0 comentários :

Postar um comentário