Ordo Salutis

Venceu Nosso Cordeiro Vamos Segui-LO

18:16

Os Deveres Mútuos de Maridos e Esposas

Postado por Harone Maestri Mattos

por
Richard Baxter




Em todos os lugares, pessoas descrentes e egoístas entram em todos os tipos de relações com um desejo de satisfazer a si mesmas e gratificar a própria carne, sem saber ou se preocupar com o que é requerido delas. Elas desejam a honra, ganho, ou prazer que seu relacionamento lhes proporcionará, mas não o que Deus e o homem requerem ou esperam delas [Gn. 2:18, Pv. 18:22]. A mente delas só se preocupa com o que poderão obter e não com o que elas deverão ser ou fazer. 1

Elas sabem o que querem que os outros façam para elas, mas não se preocupam sobre o que devem fazer para os outros. Este é o tipo de relacionamento que existe entre muitos casais.

Nós deveríamos estar muito interessados em saber quais são os deveres nos nossos relacionamentos, e como nós podemos agradar a Deus em nossas relações. Estude e faça a sua parte, e Deus certamente fará a Dele.

I. O primeiro dever dos maridos é amar suas esposas (e as esposas seus maridos). Ef. 5:25,28,29,33 – "Maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela"-"Assim também os maridos devem amar as suas mulheres como a seus próprios corpos. Quem ama a sua esposa, a si mesmo se ama" – "Porque ninguém jamais odiou a sua própria carne, antes a alimenta e dela cuida, como também Cristo o faz com a igreja" – "Não obstante vós, cada um de per si, também ame a sua própria esposa como a si mesmo, e a esposa respeite a seu marido". Veja Gn. 2:24.

Alguns conselhos para manter o amor são os seguintes:

1. Em primeiro lugar, escolha uma boa esposa. Uma esposa que seja verdadeiramente boa e amável; cheia de virtude e santidade para com o Senhor. 2

2. Não case até que você esteja seguro que pode amar completamente.

3. Não seja muito precipitado, mas saiba com antecedência todas as imperfeições que podem tentá-lo a menosprezar sua futura companheira. 3

4. Lembre-se que é justo amar a quem abandonou todo o mundo por você. Alguém que está contente em ser sua companhia em seus labores e sofrimentos, em dividir todas as coisas com você, e que deverá ser sua companheira até a morte. 4

5. Lembre-se que as mulheres são criaturas normalmente afetuosas, apaixonadas, e como elas mesmo amam, assim elas esperam muito amor de você.

6. Lembre-se que você está debaixo do comando de Deus, e negar amor matrimonial para sua esposa é negar um dever que Deus impôs a você. Portanto, a obediência deve comandar seu amor.

7. Lembre-se que vocês são "uma só carne"; você a levou a abandonar pai e mãe e partir com você; 5

8. Leve mais em conta o bem que está em sua esposa, do que as suas faltas. Não deixe que a observação de suas falhas o faça esquecer ou ignorar suas virtudes. 6

9. Não aumente suas imperfeições até que elas o levem à exasperação. Desculpe-a até onde é certo no Senhor. Considere a fragilidade do sexo. Também considere suas próprias fraquezas, e o quanto sua esposa tolera em você. 7

10. Não incite o lado ruim de sua esposa, mas, sim, o que de melhor habita nelas. 8

11. Conquiste-a com amor e então ela o amará, e conseqüentemente, será amorosa. Amor produz amor, como o fogo aumenta o fogo. Um bom marido é o melhor meio para fazer uma esposa boa e amorosa. 9

12. Viva perante ela a vida de um prudente, humilde, amoroso, dócil, abnegado, paciente e santo cristão. 10



II. Os maridos e esposas devem viver juntos - 1 Cor 7:2-5.



III. Não só abomine o adultério, mas tudo aquilo que conduz à impureza e à violação de seu matrimônio [Mt. 5:31,32; 19:9; Jo. 8:4-5; Hb. 13:4; Pv. 22:14; Pv. 2:17; 1 Co. 6:15,19; Ml. 2:15; Pv. 6:32,35; Dt. 23:.2; Lv. 21:9; 18:28; Nm. 25:9; Jr. 5:7-9].



IV. O marido e a esposa devem deleitar-se no amor, companhia e vida um do outro. Quando o marido e a esposa têm o seu prazer um no outro, isto os une nos seus deveres, os ajuda a desempenhar suas funções com facilidade e a agüentar seus fardos; e é uma das partes principais do conforto do matrimônio [Pv 5:18,19].



V. É seu dever solene viver em quietude e paz. Evitar toda ocasião de ira e discórdia.

A. - Reflexões que mostram a grande necessidade de evitar dissensão:

1. Sua união conjugal pressupõe unidade. Você pode discordar da sua própria carne?
2. Dissensão com sua esposa trará dor e transtorno a sua vida inteira... Da mesma maneira que você não deseja ferir a si próprio e é rápido em cuidar de suas próprias feridas, assim você deveria perceber qualquer quebra na paz de seu matrimônio e depressa buscar cura.

3. O amor se esfria com as brigas, que fazem com que, em sua mente, sua esposa se torne indesejável para você. Ferir é separar; estarem unidos através dos laços matrimoniais, enquanto seus corações estão separados, é um tormento. Ser interiormente adversários, enquanto exteriormente marido e esposa, transforma sua casa em uma prisão. 11

4. A dissensão entre o marido e a esposa perturba toda a vida familiar; é como bois em juntas desiguais: nada se faz enquanto um luta com o outro.

5. Isto os incapacita para adorar a Deus; vocês não podem orar juntos, nem discutir coisas divinas juntos, nem podem ajudar mutuamente as suas almas. 12

6. A dissensão torna impossível dirigir sua família apropriadamente.13

7. Sua dissensão o exporá à maldade de Satanás, e dará a ele ocasião para muitas, muitas tentações. 14



B - Conselhos para evitar dissensões:

1. Mantenham vivo seu amor um pelo outro. Ame sua esposa afetuosa e fervorosamente. O amor subjugará a ira; você não poderá ser rancoroso, por causa de pequenas coisas, com alguém que você ama afetuosamente; tampouco dirá palavras ríspidas, indiferentes, ou qualquer forma de ofensa. 15

2. Marido e esposa têm que mortificar os sentimentos de orgulho e egoísmo. 16 Estes são sentimentos que causam intolerância e insensibilidade. Vocês têm que orar e labutar por um espírito humilde, manso e quieto. Um coração orgulhoso é incomodado e provocado em cada palavra que pareça assaltar sua auto-estima.17

3. Não esqueçam que vocês dois são pessoas doentes, cheios de debilidades; e, portanto, esperem o fruto dessas debilidades um no outro; e não se surpreenda com elas, como se você não soubesse disto antes. Decidam ser pacientes um com o outro; lembrando que vocês tomaram um ao outro, como pessoas pecadoras, débeis, imperfeitas e não como anjos, ou como inocentes e perfeitos. 18

4. Lembrem-se ainda que vocês são uma só carne e, portanto, não fiquem mais ofendidos com as palavras ou faltas do outro, do que vocês ficariam se elas fossem suas. Zangue-se com as faltas de sua esposa na mesma medida que se zanga com você, pelas suas. Tenha a mesma intensidade de raiva e desgosto contra uma falta, quanto terá de empenho e determinação para remediá-la sem machucar e agravar a parte ferida. Isto transformará raiva em compaixão, e o levará a administrar cuidados para a cura. 19

5. Concordem previamente um com o outro que quando um de vocês estiver pecaminosamente bravo e transtornado, o outro , silenciosa e gentilmente, agüentará até que o irado volte à sanidade. 20

6. Tenham um olho no futuro e se lembrem que vocês têm que viver juntos até a morte, e devem ser o companheiro e o conforto da vida um do outro, e então vocês verão como é absurdo vocês discordarem e transtornarem-se mutuamente.21

7. Até onde você for capaz, evite todas as ocasiões de ira e discussão sobre os assuntos de seus familiares.22

8. Se você está tão bravo que não pode se acalmar, pelo menos controle sua língua e não fale palavras escarnecedoras e ofensivas, que abanarão o fogo e aumentarão a chama; não ventile sua raiva porque você somente alimentará sua vingança carnal. Mantenha-se calado, e você retornará muito mais cedo à sua serenidade e paz.23

9. Deixe o cônjuge calmo e racional falar cuidadosamente e submetendo suas razões ao outro (a menos que seja uma pessoa tão insolente que fará coisas piores). Normalmente algumas advertências sensatas e sérias, irão revelar-se como água fria na panela fervente. Diga ao seu cônjuge irado, "Você sabe que isto não deveria estar ocorrendo entre nós; o amor deve acalmar, e esta raiva causará arrependimentos. Deus não aprova isto, e nós não aprovaremos também quando esta discussão houver terminado. Esta disposição mental é contrária a uma disposição de oração, e este linguajar é contrário à linguagem de oração; nós temos que orar juntos; não façamos nada agora além de orar; de uma só nascente não pode brotar água doce e amarga", etc. Um pouco de calma e palavras condescendentes de razão, podem parar as torrentes, e reavivar a razão que a raiva quis sobrepujar.24

10. Quando vocês agirem pecaminosamente para com seu cônjuge, confessem um ao outro e peçam perdão, e unam-se em oração a Deus pedindo perdão; na próxima vez, isto agirá como um preventivo em vocês que, seguramente, se envergonharão por fazer novamente o que confessaram e pedirão perdão para Deus e para os homens.25



VI. Um dos deveres mais importantes de um marido para com sua esposa e de uma esposa para com o seu marido é ajudar um ao outro, cuidadosa, hábil e diligentemente no conhecimento, adoração e obediência a Deus, para que se salve e cresça na sua vida cristã.

1. Quando vocês negligenciam a alma um do outro, não demonstram amor.26 Vocês acreditam que têm almas imortais, e uma vida eterna de alegria ou miséria para viver? Então vocês têm que saber que seu grande cuidado e ocupação é cuidar dessas almas para a vida eterna. Portanto, se seu amor não ajuda um ao outro naquilo que deveria ser sua preocupação principal, ele é de pouco valor e de pouco uso. Tudo neste mundo é avaliado de acordo com sua utilidade. Um amor inútil ou improdutivo, é um amor sem valor, superficial, pueril, indesejado e os ajudará nas coisas insignificantes e infantis. Você ama sua esposa e a deixará no poder de Satanás, ou não ajudará a salvar sua alma? O quê! Ama-a, e deixará que vá para o inferno? Antes deixar que seja condenada do que se empenhar pela sua salvação? Nunca diga que a ama, se você não se esforça pela sua salvação.

Então o que devemos dizer dos que não só negam sua ajuda, mas são empecilhos na santidade e salvação um do outro? [1Rs. 11:4, At. 5:2, Jó. 2:9] E ainda (o Senhor tenha clemência deste mundo miserável e pobre! Como é comum isto entre nós!) se a esposa é ignorante e descrente, ela usará todas as armas para fazer ou manter seu marido no mesmo estado dela; e se Deus pusesse qualquer inclinação santa no coração do seu marido, ela será como água para o fogo, para extinguir ou subjugar aquele sentimento; e se ele não for tão pecador e miserável quanto ela, ele não terá sossego. E se Deus abrir os olhos da esposa de um homem ruim e lhe mostrar a necessidade de uma vida santa e ela resolver obedecer ao Senhor e salvar sua alma, que inimigo e tirano seu marido será para ela (se Deus não o contiver); o próprio diabo não faz mais para evitar a salvação de almas do que os maridos e as esposas descrentes fazem um contra o outro.

2. Considerem também que vocês não estão vivendo na forma proposta para o casamento, se não estão ajudando suas almas.27

3. Considerem também que se vocês negligenciam suas almas, que inimigos vocês são um do outro, e como vocês estão se preparando para suas aflições perpétuas! Quando deveriam estar se preparando para sua feliz reunião no céu, vocês estão se preparando para o perpétuo horror.28
Então, sem um momento de hesitação, determinem viver juntos como herdeiros do céu, e cada um seja um auxiliador para a alma do outro. Para ajudá-los neste santo propósito, eu lhes darei algumas orientações, que, se fielmente praticadas, podem fazê-los ser bênçãos especiais um ao outro:

3.1. Antes que você possa ajudar a salvar a alma do seu cônjuge, tenha certeza quanto à sua própria salvação. Você deve ter um entendimento vívido e profundo das grandes questões eternas sobre as quais lhe é requerido falar aos outros. Se você não tem nenhuma compaixão para com a sua própria alma e a venderá por um momento de tranqüilidade e prazer, então certamente você não tem nenhuma compaixão para com a alma do seu cônjuge.29

3.2. Aproveite toda oportunidade que sua proximidade provê, para estar falando seriamente um ao outro sobre os assuntos de Deus e a salvação de vocês.30 Discuta sobre as coisas deste mundo não mais do que o necessário. Conversem sobre o estado e dever de suas almas para com Deus, e de suas esperanças do céu, tais como àqueles que consideram estes assuntos como seus principais interesses. E não falem leviana ou irreverentemente, ou de maneira rude, mas de maneira séria e sóbria, como se fossem aqueles que discutem as coisas mais importantes de todo o mundo [Mc.8:36].

3.3. Quando o marido ou a esposa estiver falando seriamente sobre assuntos santos, que o outro tenha o cuidado de incentivar, e não extinguir, a conversa.31

3.4. Julgue de forma imparcial a condição espiritual do seu cônjuge; julgue a força ou fraqueza dos pecados e virtudes e das imperfeições existentes na vida dele; só assim, você poderá ser capaz de ajudá-lo convenientemente.32

3.5. Não lisonjeie, nem critique um ao outro de maneira tola.33 Faça tudo no verdadeiro e puro amor. Alguns estão tão cegos quanto às faltas de esposos, esposas ou filhos que não conseguem enxergar o pecado e a fraqueza que existem neles. Eles estão iludidos em relação à condição eterna de suas almas.A mesma coisa acontece com pecadores complacentes consigo mesmos e com suas almas; eles, obstinadamente, enganam a si mesmos para sua condenação. Esta auto-aprovação nada mais é do que o engodo do diabo para afastá-lo de um arrependimento eficaz e da salvação.

Por outro lado, alguns não podem falar com o outro sobre suas faltas, sem amargura ou desdém, o que causará, em quem ouve, a recusa do remédio que poderia salvá-los. Se as advertências cotidianas que você faz aos estranhos devem ser oferecidas em amor, muito mais entre o marido e esposa.

3.6. Mantenha aceso seu amor, não cultive a distância, que somente fará com que os conselhos e reprovações do outro sejam desprezados.

3.7. Não desencoraje seu cônjuge a instruir você, através de sua recusa em receber e aprender de suas correções.34

3.8. Ajudem-se mutuamente, através da leitura em conjunto de livros que convençam do pecado, perscrutem e apontem o caminho da vida. Os mais espirituais. Não desperdice o seu tempo com livros levianos, fracos e aguados. Tenham as mesmas amizades com as pessoas mais santas. Isto não significa negligenciar seus deveres um com o outro, já que toda a ajuda possível pode ser mais eficaz.35

3.9. Não encubra o estado de suas almas, nem esconda suas faltas um do outro. Vocês são uma só carne, e deveriam ter um só coração; e da mesma forma como é perigoso para um homem ignorar o estado de sua própria alma, assim também é muito pesaroso que o marido ou a esposa ignorem as áreas em que o outro necessita de ajuda.36

3.10. Evite, tanto quanto possível, opiniões diferentes na religião.

3.11. Se existirem compreensões religiosas diferentes entre vocês, estejam seguros que vocês administrarão isto com santidade, humildade, amor e paz, e não com carnalidade, orgulho, intolerância ou contenciosidade.

3.12. Não sejam nem cegamente indulgentes, nem muito críticos com relação às faltas e ao estado do cônjuge, permitindo a Satanás transformar suas afeições em hostilidade.

3.13. Se você é casado com uma pessoa descrente, mantenha, apesar disto, o amor que é requerido para o bem-estar da relação.37

3.14. Unam-se em freqüente e fervente oração. A oração força a mente à sobriedade, e move o coração com a presença e majestade de Deus. Também orem pelo outro quando vocês estão em secreto, pois Deus pode fazer aquilo que vocês mais desejam, no coração dos seus cônjuges.

3.15. Em último lugar, ajudem um ao outro através de uma vida exemplar. Seja você, o que deseja que seu marido ou esposa seja; supere-se na mansidão, humildade, caridade, submissão, diligência, abnegação e paciência.38



VII. Outro dever importante no matrimônio é ajudar na saúde e conforto de seus corpos. Não mimar a carne, ou estimular os vícios do orgulho, indolência, glutonaria ou os prazeres sensuais, um do outro; mas aumentar a saúde e vigor do corpo, deixando-o em boa forma para servir a alma e a Deus.

1. Na saúde, você deve ter o cuidado de providenciar ao seu cônjuge comida saudável e afastá-lo do que é nocivo a sua saúde, advertindo-o dos perigos da glutonaria e ociosidade, os dois grandes assassinos da humanidade.39,

2. Também na doença, vocês devem cuidar um do outro e não poupar esforços, financeiros ou físicos, pelos quais a saúde do outro possa ser restabelecida, ou suas almas confirmadas e consoladas.40



VIII. Outro dever de maridos e esposas é ajudar um ao outro na administração de seus negócios e propriedades. Não para fins mundanos, nem com uma mente mundana; mas em obediência a Deus que terá deles o labor, tanto como a oração pelo seu pão diário, e que determinou que do suor do seu rosto comessem seu pão, que em seis dias trabalhassem e fizessem toda sua obra, e ainda, que quem não trabalhasse não deveria comer. 41



IX. Também você deve ter cuidado em guardar o bom nome do seu cônjuge. Você não deve divulgar, mas encobrir as imperfeições um do outro. A reputação de um deve ser tão prezada para o outro como a dele própria. É uma prática pecaminosa e infiel de muitos, tanto de maridos como de esposas, tratar das faltas um do outro na presença de amigos, quando, o que deles é requerido é que, em amor, as encubram. Muitas pessoas impertinentes agravarão as faltas do cônjuge por trás dele. 42



X. É seu dever no matrimônio ajudar seu cônjuge na educação de seus filhos. 43



XI. É seu dever no matrimônio ajudar seu cônjuge em obras de caridade. 44



XII. Finalmente, é um grande dever de maridos e esposas, ajudar e confortar um ao outro na preparação para uma morte segura feliz. 45
1. Na saúde, vocês devem freqüente e seriamente lembrar um ao outro do dia em que a morte os separará; e viver juntos diariamente, como aqueles que estão aguardando a hora da partida... Reprove entre os dois qualquer lembrança desagradável quando a morte se aproximar. Se vocês vêem o outro entediado ou lento para com os assuntos espirituais, ou vivendo em vaidade, mundanidade, ou indolência, como se tivesse esquecido que morrerá brevemente, incite-o a fazer tudo, que a aproximação de tal dia requer, sem demora.

2. E quando a morte estiver perto, oh, então que abundância de ternura, seriedade, habilidade, diligência, será necessária para aquele que terá o último dever de amor para cumprir, para com a alma de um amigo tão íntimo que está partindo! Oh, então que necessidade haverá da sua mais sábia, fiel e diligente ajuda!... Aqueles que estão totalmente despreparados para morrer podem fazer pouco para preparar ou ajudar outros. Mas os que vivem juntos como herdeiros do céu e conversam na terra como companheiros de viagem para a terra da promessa, podem ajudar e encorajar as almas um do outro, e podem alegremente separar-se na ocasião da morte, enquanto esperam encontrar-se, dentro de pouco tempo, na vida eterna.

---------------------------------------------------------------------

NOTAS

1 Lc 6:31-32; 1Co 10:24; Gl 6:2; Fp. 2:4; 2 Tm 3:2; 1Jo. 3:17; Gn. 4:9; 1 Sm. 25:3-11; Es. 6:6; Is. 56:11; Jo. 6:26

2 Pv. 18:22; Pr. 19:13-14

3 Pv. 18:13

4 Mt. 5:32; Mt. 19:9; 1Co. 7:39; Cl. 3:19; Gn. 2:24

5 Mt. 19:5; Mc. 10:7

6 1 Co. 13:7; Fp. 2:3

7. Sl. 103:14; 1Co. 13:7

8 Pv. 10:12

9 Rm. 12:21; 1Pe. 3:9

10 Ef. 4:1; Cl. 1:10; 1Ts. 2:12; Pv. 11:30; 1Tm. 4:16; Tg 5:19-20; 1Pe. 3:1-2

11 Pv. 19:13

12 Mt. 5:23; 1 Sm 15:22

13 Mt 12:25; Mc 3:25; Lc 11:17

14 Tg 1:13; 1Co. 7:5; Jó 2:9

15 Lv 19:8; Sl. 133:1; Pv. 15:17; Rm. 12:10; Rm. 14:19; Rm. 15:1; 1Co. 13:4-7

16 Lc. 9:23; Sl. 101:5; Pv. 16:5; Pv. 21:4; Pv 28:25; Mt 23:12; 1Pe. 5:6

17 Sl. 10:4; Os 7:10; Pv 13:10; Pv 28:25

18 Jr 17:9; Rm. 7:24; 1Jo. 1:8

19 Ef. 4:26; Ef. 4:32; Tg 1:19

20 Ef. 4:2; 1Co. 13:4

21 Ec. 9:9; Rm 7:2

22 Gn 2:24

23 Gl 5:15; Tg 3:5,6,8

24 Pv 15:18; Mt 5:9; Sl. 85:8

25 Ef 4:32; Tg 5:16

26 2 Co. 2:4; 2 Co. 12:15; 1Ts. 2:8

27 Gn 2:18 1Ts 5:11; Ef 4:16; Hb 12:15; 1Co. 7:5; Cl 2:19; Gn 35:2; Gn 35:4; Lv 19:17; Nm 16:27; Nm 16:32

29 Gn 2:18; 2Co 13:5; Gl 6:3; Gn 25:29; Gn 25:34

30 Cl 3:16; Hb 3:13; Hb 10:24
31 Pv 27:6; Pv 15:12; Pv 15:31; Pv 15:32

32 Hb 10:24

33 Ef 4:15; Ef 4:26-5:9

34 Pv 29:1

35 Ef 4:11-16

36 Tg 5:16; Ef 5:27-32

37 1Co. 7:13-14

38 1Pe 3:1; Jo 13:15; 1Tm 4:12; 1Co. 11:1; 1Ts 1:6; 2Ts 3:7-9; Tt 2:6; Tg 3:17; 2Pe 1:5-8

39 1Co. 6:19; Dt. 21:20; Pv. 23:21; Pv. 19:15; Pv. 6:9; v. 10:4; 2 Ts 3:10 Pv 19:24; Pv 20:13; Pv 23:21; Pv 24:33; Is. 56:10; 1Tm 5:13

40 Ef 5:29, Jó 19:17

41 Pv 31; Tt 2:5; 1Tm 5:14; 1Tm.5:8; Ex 20:9,11; Ge 3:19; 1Tm 3:10-12

42 Tg 4:11; Pv 17:9; 1Pe. 4:8

43 Gn 18:19; Gn 35:2; Js 24:14; 1Tm 5:14; Pv 31:1

44 Hb 13:2; Gn 18:6; Rm 12:13; 2Co 9:6; Lc 16:9; 1Tm 3:2; 1Tm 5:10; Pv 11:20; Pv 11:28; Ne. 8:1; Pv 19:17; Jó 29:13; Jo 31:20 At 20:35

45 Dt 32:29; Sl. 39:4; Sl. 90:12; Rm 14:8; Hb 13:14; 1Pe 1:17; Sl 3:5; Sl 37:37; Sl 49:15; Sl 73:24; Sl. 116:15; Pv 14:32; Ecc 7:1; Lc 16:22; Lc 23:43; 1Co 15:51-57; 2Co 5:1; 2Co 5:4; 2Co 5:8; Fp. 1:20-23; 1Ts 5:9; 2Pe 1:11; 2Pe 1:14; Ap. 14:13; Sl. 23:4.

0 comentários :

Postar um comentário