Ordo Salutis

Venceu Nosso Cordeiro Vamos Segui-LO

17:09

Johann Heinrich Bullinger (1504-1575)

Postado por Harone Maestri Mattos


Johann Heinrich Bullinger (1504-1575). Como sucessor de Zuínglio em Zurique, Bullinger desempenhou um papel importante na Reforma Protestante. Era filho de um sacerdote de paróquia. Enquanto estudava teologia em Colónia foi estimulado pelo estudo dos Pais da Igreja, a fazer uma nova investigação das Escrituras. Depois de voltar para casa em Zurique, reuniu-se com Zuínglio num esforço para reformar a igreja. Quatro anos mais tarde, depois da morte de Zuínglio, Bullinger tornou-se líder do ramo suíço da Reforma, centrado em Zurique. Ainda que o centro da liderança da Reforma logo tenha passado de Zurique para Genebra e para João Calvino, a influência de Bullinger continuou por uns quarenta anos entre aqueles que aderiram à versão zuingliana da fé protestante. Com regularidade, pregava e ensinava as Escrituras, fazia comentários sobre os livros da Bíblia, escrevia tratados teológicos sobre as questões discutíveis daqueles dias, procurava estabelecer e manter relacionamentos fraternais com os outros cristãos reformados, e escreveu uma história da Reforma, em muitos volumes.

O melhor resumo da teologia de Bullinger acha-se na sua obra Décadas. Esta obra é composta por cinquenta longos sermões que tratam dos principais ensinos da doutrina cristã. Foram publicados em 1549-51, e traduzidos pouco tempo depois para o inglês, holandês e francês. Na Inglaterra, as Décadas serviam como orientação teológica oficialmente determinada para os clérigos que não tivessem feito o mestrado. Além desta obra, Bullinger escreveu estudos importantes sobre a providência, a justificação e a natureza das Escrituras. Ao todo, as suas obras chegam ao número de aproximadamente 150.

Bullinger desempenhou um papel importante na união dos protestantes. Ele e Calvino procuraram evitar potenciais cismas no movimento protestante, mediante proposta o “Acordo de Zurique” (1549). Ele e Calvino concordaram que os crentes, mediante a Ceia do Senhor, recebem Cristo espiritualmente e são unidos a Ele. Mais tarde, Bullinger escreveu a Segunda Confissão Helvética, publicada em 1566, que veio a ser o elo de união entre as igrejas calvinistas espalhadas por toda a Europa.

Como os demais líderes da Reforma, Bullinger enfatizava a centralidade das Escrituras. Os primeiros sermões nas suas Décadas falam das Escrituras que nos foram dadas como a revelação totalmente suficiente de Deus a todas as pessoas para a sua salvação e santificação. A compreensão total da mensagem bíblica requer a consciência da importância da analogia da fé, a leitura de textos no seu contexto, a comparação de uma parte das Escrituras com outra e, acima de tudo, "um coração que ame a Deus e procure a Sua glória". Em última análise, o leitor depende do Espírito Santo para conseguir o entendimento do texto.

A eclesiologia de Bullinger concordava com a que foi desenvolvida pelos demais reformadores. A igreja invisível é composta de todos os eleitos, ao passo que a igreja visível consiste de todos os cristãos professos. Somente Deus conhece com perfeição os membros de cada uma delas. A igreja verdadeira é caracterizada pela pregação correcta da Palavra de Deus e pela administração fiel dos sacramentos do Baptismo e da Ceia do Senhor. A verdadeira sucessão apostólica não se acha na descendência histórica através dos bispos, mas antes na pregação e no ensinamento das verdades que nos foram dadas pelos Apóstolos. Se bem que rejeitasse o papado e as suas reivindicações autoritárias, Bullinger estava disposto a julgar a Igreja Católica Romana, bem como o Protestantismo, de conformidade com a Palavra proclamada e os dois sacramentos correctamente administrados.

Johann Heinrich Bullinger (18 de Julho de 1504 — 17 de Setembro de 1575) foi um reformador protestante suíço, o sucessor de Ulrico Zuínglio como chefe da igreja e pastor em Zurique. Por ser uma figura muito menos controversa do que João Calvino ou Martinho Lutero, a sua importância tem sido desde muito subestimada. Uma pesquisa recente mostrou, porém, que ele foi um dos mais influentes teólogos da Reforma Protestante no século XVI.

Bibliografia:

G. W. Bromiley, Histórica! Theology e (ed.) Zwingli and Bullinger;
P. Schaff, Histoiyof the Christian Church, VIII, 240-14.

0 comentários :

Postar um comentário